ministro da Economia, Paulo Guedes, reconheceu nesta quarta-feira (30) a oneração das folhas de pagamento como o “mais cruel dos impostos” e disse que gostaria de ampliar a desoneração para todos os segmentos da economia.

Nós queremos desonerar para todos e para sempre, não só para quem tem lobby em Brasília e nem por mais um ano apenas”, destacou em coletiva para comentar os resultados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

A fala do ministro surge no momento em que o governo e o Congresso discutem a a extensão da desoneração da folha para 17 setores até final de 2021. A medida, vetada pelo presidente Jair Bolsonaro, é defendida pela maioria dos parlamentares.

O veto deve ser derrubado nos próximos dias com a intenção de garantir a manutenção do emprego de 6 milhões de trabalhadores. A sessão que apreciaria o tema nesta quarta-feira foi cancelada sob a justificativa de falta de quórum.

No início do mês, Guedes falou que a desoneração ampla da folha de pagamentos permitirá a criação de milhões de empregos formais. Ele afirma que a proposta do governo de desoneração encontra-se na terceira fase da reforma tributária.

Para Guedes, o imposto sobre a folha de pagamento “mostrou ser uma arma de destruição em massa dos empregos”. “É uma covardia deixar 40 milhões de brasileiros fora do mercado de trabalho. Temos que facilitar a inclusão social, a dignidade de um emprego próprio”, analisou.

Fonte: R7 30/09/2020

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui