O olho do furacão Sally passou esta quarta-feira por Pensacola, na Florida, e pelo Alabama, tombando árvores na sua passagem e deixando ruas inundadas até aos para-choques dos automóveis, como mostram as imagens da galeria acima. 

Quase 400 mil residências e empresas ficaram sem eletricidade, de acordo com as autoridades, que determinaram o recolher obrigatório na costa sudeste.

“O furacão veio provar o que já sabíamos há muito tempo das tempestades: são imprevisíveis”, disse o presidente da Câmara de Pensacola, Grover Robinson.

Stacy Stewart, especialista do Centro Nacional de Furacões dos EUA, disse que há uma forte probabilidade de o furacão provocar “chuvas catastróficas”, colocando vidas em risco, em várias partes da costa sudeste.

“O Sally tem uma característica pouco comum: avança de forma muito lenta, o que agrava os riscos de inundações”, explicou Ed Rappaport, diretor-adjunto do Centro de Furacões.

O impacto do Sally também está a começar a ser sentido no estado do Luisiana, onde os terrenos a menor altitude foram inundados por água.

“Estejam atentos. Tenham cuidado”, aconselhou o governador do Luisiana, John Bel Edwards, recordando que o seu estado ainda não se recuperou integralmente dos estragos provocados pelo furacão Laura, de categoria quatro, que, com rajadas até 240 quilómetros por hora, custou a vida a pelo menos 10 pessoas, há duas semanas

Fonte: R7 16/09/2020

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui