Cinco mortos e sete feridos em uma comemoração de festa junina.

O Portal dos Procurados divulga nesta segunda-feira, dia 27/07, cartaz para ajudar a Delegacia de Homicídios da Capital – DH – com informações que possam levar a localização e a consequente a prisão de Jonathan Alves Pereira da Silva, o JN; Carlos Henrique Baraúna dos Santos, o Kaike, e Wallace Moura dos Santos, WL, 23 anos. Eles são os principais suspeitos de envolvimento na chacina de Anchieta, ocorrida na madrugada dia 28 de junho durante uma festa junina no Condomínio Jamaica, na Rua Ernesto Vieira, em um dos acessos à comunidade Az de Ouro. no bairro de Anchieta, na Zona Norte do Rio.

A possível disputa por pontos de drogas deixou cinco mortos e sete feridos. Entre as vítimas fatais está uma menina de 10 anos. Rayane Cardoso Lopes. As vítimas estavam participando de uma festa junina, quando, por volta das 2h, quatro homens armados em um carro preto efetuaram vários disparos em direção aos participantes da festa.

Um dos lideres da ação criminosa é o traficante Kaike, que tentou implantar o tráfico neste local e foi impedido pela polícia. Ele teria se juntado com traficantes do Complexo do Chapadão para o ataque. O objetivo do CV era formar um complexo de favelas na região, que abriga Anchieta, Mariópolis e Ricardo de Albuquerque e eliminar rivais da quadrilha oposta, o Terceiro Comando Puro (TCP).

Um dos alvos dos criminosos seria um traficante de vulgo Desenho, que vinha incomodando a facção Comando Vermelho (CV) ao tentar retomar o Morro do Cocô, em Ricardo de Albuquerque. Ele não foi atingido.

Na ação, dois participantes da festa foram atingidos Breno Soares Gomes (ferido) e Yan Lucas  Soares Gomes (morto). Eles são filhos do traficante Vanilson Venâncio Gomes, conhecido como Tida, morto em confronto com policia em abril de 2015. Tida era braço-direito de Celso Pimenta, o Playboy, antigo chefe do Complexo da Pedreira, morto também, em 2015,  em uma ação da Polícia.

Kaike ganhou da Justiça esse ano o direito de ficar em regime aberto. Ele estava em prisão albergue domiciliar com monitoramento eletrônico. Ele foi condenado a 13 anos, seis meses de reclusão pela prática de roubo majorado, tráfico de drogas e associação ao tráfico. Sua pena tem término previsto para 04/05/2026.

Na última quinta (23), Rhuan Roberto Ferreira Bourrus, o RH, um dos envolvidos na chacina, foi preso na casa de parentes, no Estado da Paraíba, em uma ação conjunta entre Delegacia de Homicídios da Capital e a Polícia da Paraíba. Contra Rhuan havia um mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado. De acordo com as investigações, RH também fazia parte da quadrilha de traficantes acusada de cometer a chacina.

E em decisão exarada pela Justiça, em conformidade com Autoridade Policial da Delegacia de Homicídios da Capital, Delegado Drº Marcio Drucker, foi expedido mandado de prisão, pela 3ª Vara Criminal da Capital, Nº do Mandado de Prisão: 0141747-32.2020.8.19.0001.01.0001-09, pelo crime de Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º – CP), com pedido de Prisão Preventiva, contra os suspeitos do crime, com validade até 2040.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos envolvidos na chacina de Anchieta, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177 , ou pelo Aplicativo para celular – Disque Denúncia e também pelos aplicativos: https://twitter.com/PProcurados, e https://www.instagram.com/portal.dos.procurados, e em todos os casos  O Anonimato é garantido.

Todas as denúncias sigilosas sobre o caso serão encaminhadas para DH/Capital que está encarregada do caso e do inquérito criminal.

Fonte: Portal dos procurados, 27/07/2020

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui