Macaé – É possível dizer, através de números, que Macaé é a cidade que efetivamente se preparou para enfrentar o período mais sombrio da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Primeira no Estado a instituir o fechamento total do comércio, que posteriormente instituiu no país o lockdown, a cidade fortaleceu a própria rede de Saúde pública e assumiu o controle, não só do cotidiano de cada um dos 250 mil habitantes, mas também de todas as ações que resultassem no enfrentamento ao contágio local da doença.

Após cinco meses de uma verdadeira guerra, o município recriou a infraestrutura médica de atendimento em alta complexidade, instituindo um sistema flexível de leitos de CTI (Centro de Terapia Intensiva) que permite a programação estratégica de flexibilização das atividades econômicas locais, baseada também nos resultados da testagem em massa da população.

Essas medidas dão ao município a capacidade de controlar a taxa de infecção do Covid-19, uma perseguição implacável que, por muito tempo, ainda fará parte da rotina da cidade que, aos poucos, busca reencontrar os caminhos do progresso e da prosperidade. A frente dessas decisões está o médico neurocirurgião, prefeito em segundo mandato, Dr. Aluízio dos Santos (PSDB). Um dos mais de 4,5 mil macaenses que já testaram positivo para o coronavírus, o prefeito aponta que a cidade segue para um estágio mais “moderado” de restrições e de isolamento social, mas afirma que antes de qualquer medida um fator principal é levado em consideração: “Nada vale mais que uma vida”, afirma.

Fonte: O Dia 14/07/2020

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui